Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 21 de maio de 2018

Conversa de Escritor - Resumo

Convidado: Luiza Cantanhede
Tema: Conversa com a autora de Palafitas
Dia: 04/06/17
Horário: 20h20


(21:47:55) Luiza Cantanhede saindo da conversa...
(21:47:09) Luiza Cantanhede Boa noite Wellington e Silvana! grata pela participação!
(21:47:06) ModeradorEntretextos saindo da conversa...
(21:46:54) Silvana saindo da conversa...
(21:46:29) Luiza Cantanhede Eu agradeço o convite! me sinto honrada em ter o registro neste importante Portal!
(21:45:09) ModeradorEntretextos Luiza, agradecemos sua ilustre presença no bate-papo de hoje. Saudamos também a Silvana e Wellington Assis. Boa noite a todos e obrigado!
(21:43:23) Luiza Cantanhede moderador, no meu fazer poético tudo é inconcluso, a Poesia em mim num primeiro momento foi uma catarse, eu precisava falar do que eu vi com os meus \"olhos de metáforas\" usei o bucólico como pano de fundo, mas trouxe também o urbano:. Gostei de falar da roça, dos rios das Palafitas...Agora como diz o trecho de um poema meu: As poucas certezas que tenho, se escondem do anzol, na lama.
(21:38:05) ModeradorEntretextos Existiria para você um tema predileto para escrever?
(21:38:02) Luiza Cantanhede o bucólico me encanta
(21:35:59) Luiza Cantanhede surgem naturalmente, um amálgama da poeta com os elementos que compõem o lugar
(21:34:34) ModeradorEntretextos Luiza, a geografia afetiva do Piauí e do Maranhão (digo, também, os seus costumes e lugares físicos) parecem exercer sobre você um encanto único.Eles surgem naturalmente em sua poesia ou é algo calculado racionalmente?
(21:32:44) Luiza Cantanhede nos
(21:31:37) Luiza Cantanhede nós atendo um pouco a realidade: Se algo não vai bem, mude...
(21:30:19) Luiza Cantanhede Wellington, eu usei o pássaro, para dizer que a liberdade é essencial, e falo de liberdade no contexto geral
(21:28:09) Luiza Cantanhede Oi Wellington, Boa noite
(21:27:44) Luiza Cantanhede bem, o ato de escrever nos permite o exercício de diversas formas de linguagem, imagem, significados...Eu não tenho uma \"Classificação\" mas o que eu pretendo na verdade com o fazer poético, é metaforizar minhas inquietações internas e externas...O resto é com o leitor
(21:27:41) Wellington Assis Certo dia eu vi uma de suas poesias quê fala assim: Se pássaros estão mudos Abram as gaiolas. O quê você quis expressar nessa poesia sua Luíza?
(21:26:08) ModeradorEntretextos entrando na conversa...
(21:25:30) Wellington Assis Oie Luíza! Boa noite
(21:23:05) Silvana como você classificaria sua poesia?
(21:21:49) Luiza Cantanhede como diz Pedro Salinas: A poesia é uma aventura ao absoluto...
(21:20:28) Luiza Cantanhede num primeiro momento: O chão! agora a imprecisão, a busca (do quê, não sei)
(21:18:54) Luiza Cantanhede entrando na conversa...
(21:18:14) Moderador Entretexto Quais palavras melhor definem sua poética?
(21:18:06) Luiza Cantanhede saindo da conversa...
(21:13:14) Luiza Cantanhede estou de volta
(21:12:46) Luiza Cantanhede entrando na conversa...
(21:11:47) Luiza Cantanhede saindo da conversa...
(21:11:36) Luiza Cantanhede para mim não é utopia, a Poesia tem função social sim
(21:11:15) Wellington Assis entrando na conversa...
(21:09:14) Silvana poesia tem função social ou isso é utopia?
(21:07:15) Luiza Cantanhede Não posso explicitar o que na verdade absorvi, mas sei do encantamento que me causaram
(21:06:31) Silvana https://www.wattpad.com/story/39912076-palafitas
(21:05:18) Moderador Entretexto O que você absorveu da poesia de Drumond e Vinicius?
(21:03:51) Luiza Cantanhede depois Vieram Drummond, Vinícius, Ligia Fagundes, Clarice...
(21:02:59) Luiza Cantanhede eu li muito os clássicos, e ainda muito jovem, necessito rele-los: Jane Austen, Nabokov, Cervantes, Dante, Guimarães Rosa, Graciliano, Lima Barreto...Estes e vários outros, eu li na adolescência
(21:00:17) Moderador Entretexto Quais suas influências de leitura?
(20:59:30) Luiza Cantanhede moderador realmente é também por aí... falo como Ezra Pound: É que sou um Poeta e bebo vida, como os homens menores bebem vinho
(20:57:21) Luiza Cantanhede minha mãe teve vários ofícios na vida: quebradeira de coco, lavadora, lavadeira, isto se fixou na minha mente e as minhas retinas poéticas foram captando essas imagens
(20:55:46) Moderador Entretexto Sua poesia está permeada de elementos etéreos (sol, lua, mar etc.). O que eles significam para você como forma de expressão? Seria uma forma de resgatar a raiz romântica que no fundo habita a mais impessoal das poesias?
(20:53:59) Luiza Cantanhede Silvana, creio eu que todo escritor tem um ponto de partida para iniciar uma obra, a exemplo de Guimarães Rosa e Graciliano com o Sertão, Shofia de Mello Breyner com o mar...e a imagem que se ficou na minha memória foi o rio e as Palafitas
(20:50:55) Silvana Palafitas é uma evocação de que tipo de paisagem subjetiva?
(20:50:51) Luiza Cantanhede a poesia me permitiu esse ajuste com a realidade
(20:50:01) Luiza Cantanhede havia em mim neste primeiro grito poético, uma espécie de obrigação de eternizar os elementos que rondaram a minha infância
(20:47:57) Luiza Cantanhede Paul Celan falou que a Poesia é uma espécie de regresso a casa, eu tenho realmente o chão como reserva Poética, costumo dizer que cato a Poesia do nada, muito embora eu conheça os sons do machado, da enxada e dos anzóis nas águas dos rios de minha região
(20:47:52) Silvana entrando na conversa...
(20:44:46) Moderador Entretexto Há em sua poesia uma forte ligação com a terra, em versos de grande força telúrica. Qual o lugar do chão como reserva poética?
(20:44:27) Luiza Cantanhede no caso a menina que brincava debaixo das \"Palafitas\" que se encantava com o rio...
(20:43:14) Luiza Cantanhede No caso do meu primeiro livro, mesmo sem me perguntar muito os \"porquês\" eu quis conservar alguma coisa em mim do que eu deixei de ser um dia
(20:40:46) Moderador Entretexto Qual o lugar da forma em seu verso?
(20:37:18) Luiza Cantanhede e talvez dá vontade de preservar o que eu vi um dia
(20:36:06) Luiza Cantanhede do olhar sensível
(20:35:49) Luiza Cantanhede das experiências...
(20:35:05) Moderador Entretexto Como nasce sua poesia?
(20:32:43) Moderador Entretexto Boa noite Luiza
(20:32:38) Luiza Cantanhede boa noite! um prazer está aqui
(20:32:12) Moderador Entretexto entrando na conversa...
(20:31:44) Luiza Cantanhede entrando na conversa...
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

21.05.2018 - TRADUÇÃO DO POEMA

Quisiera sr

18.05.2018 - Alguma coisa vem mudando no país

É só observar bem. Temos de apoiar as mudanças para melhor. O Brasil precisa continuar sendo passado a limpo porque tem muita sujeira de fato.

18.05.2018 - Herculano Moraes

O acadêmico Reginaldo Miranda presta homenagem a seu amigo e colega de APL, Herculano Moraes.

17.05.2018 - MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

17.05.2018 - A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

16.05.2018 - Viagem a Manaus

À noite, ouvi, muitas vezes, o canto rascante de cigarras e a sinfonia álacre dos batráquios.

15.05.2018 - Psycho Pass 9: Akane se impõe

Prosseguindo o guia de episódios do seriado japonês policial e de ficção científica "Psycho Pass" veremos como a Inspetora Akane lida com a hostilidade de seu colega...

14.05.2018 - Retrato de minha mãe (*)

Cristo disse que quem desejasse ser o maior, deveria ser o que mais servisse. Portanto, deveria ser o maior e o melhor dos servos. Mamãe (quase) renunciou a si mesma, para servir aos outros.

13.05.2018 - Capitão Marcos Francisco de Araújo Costa

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um importante militar e educador do período colonial.

13.05.2018 - Minha mãe e o budismo

Minha mãe participou ativamente do budismo em certas ocasiões.

13.05.2018 - Dia das Mães

Que dirá no dia das mães?

09.05.2018 - Barras: histórias e saudades

O livro conta a saga da comunidade barrense, desde o seu primórdio, no século 18, quando o fazendeiro e empreendedor Miguel de Carvalho e Aguiar, filho do grande Bernardo de Carvalho e Aguiar, instalou a sua fazenda e currais.

06.05.2018 - Todos se dizem inocentes

Nenhum criminoso se declara culpado

06.05.2018 - O vestido verde

Sim, toda vez que eu passava pela avenue de la Motte Picquet tinha de dar uma paradinha naquela loja .

05.05.2018 - Capitão Francisco da Cunha e Silva Castelo Branco

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um importante militar e criador piauiense do período colonial.

05.05.2018 - Máscaras

Depois de uma, havia sempre outra máscara.

01.05.2018 - Casimiro José de Moraes Sarmento

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um importante político brasileiro.

29.04.2018 - O fundamento dos sonhos

O homem como possibilidade

28.04.2018 - Dois estudos práticos para o ensino da língua portuguesa no Brasil

Este ensaio analisa dois estudos de Língua Portuguesa, i.e., estudos gramaticais destinados ao ensino de uma língua com finalidades práticas

27.04.2018 - Godard e o conceito esquerdista de liberdade

Dois acontecimentos reveladores das contradições da esquerda marxista.

27.04.2018 - Sobre "Histórias de Évora” de Elmar Carvalho

... o autor nos reconduz às histórias de aprendizados e encantamentos adolescentes de cada um de nós, que tivemos a felicidade de viver aquela fase em tempos de provinciana calmaria.

27.04.2018 - Retrato de um político jovem

Já chega a ser

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br