Dilson Lages Monteiro Sábado, 20 de outubro de 2018

Conversa de Escritor - Resumo

Convidado: Luiza Cantanhede
Tema: Conversa com a autora de Palafitas
Dia: 04/06/17
Horário: 20h20


(21:47:55) Luiza Cantanhede saindo da conversa...
(21:47:09) Luiza Cantanhede Boa noite Wellington e Silvana! grata pela participação!
(21:47:06) ModeradorEntretextos saindo da conversa...
(21:46:54) Silvana saindo da conversa...
(21:46:29) Luiza Cantanhede Eu agradeço o convite! me sinto honrada em ter o registro neste importante Portal!
(21:45:09) ModeradorEntretextos Luiza, agradecemos sua ilustre presença no bate-papo de hoje. Saudamos também a Silvana e Wellington Assis. Boa noite a todos e obrigado!
(21:43:23) Luiza Cantanhede moderador, no meu fazer poético tudo é inconcluso, a Poesia em mim num primeiro momento foi uma catarse, eu precisava falar do que eu vi com os meus \"olhos de metáforas\" usei o bucólico como pano de fundo, mas trouxe também o urbano:. Gostei de falar da roça, dos rios das Palafitas...Agora como diz o trecho de um poema meu: As poucas certezas que tenho, se escondem do anzol, na lama.
(21:38:05) ModeradorEntretextos Existiria para você um tema predileto para escrever?
(21:38:02) Luiza Cantanhede o bucólico me encanta
(21:35:59) Luiza Cantanhede surgem naturalmente, um amálgama da poeta com os elementos que compõem o lugar
(21:34:34) ModeradorEntretextos Luiza, a geografia afetiva do Piauí e do Maranhão (digo, também, os seus costumes e lugares físicos) parecem exercer sobre você um encanto único.Eles surgem naturalmente em sua poesia ou é algo calculado racionalmente?
(21:32:44) Luiza Cantanhede nos
(21:31:37) Luiza Cantanhede nós atendo um pouco a realidade: Se algo não vai bem, mude...
(21:30:19) Luiza Cantanhede Wellington, eu usei o pássaro, para dizer que a liberdade é essencial, e falo de liberdade no contexto geral
(21:28:09) Luiza Cantanhede Oi Wellington, Boa noite
(21:27:44) Luiza Cantanhede bem, o ato de escrever nos permite o exercício de diversas formas de linguagem, imagem, significados...Eu não tenho uma \"Classificação\" mas o que eu pretendo na verdade com o fazer poético, é metaforizar minhas inquietações internas e externas...O resto é com o leitor
(21:27:41) Wellington Assis Certo dia eu vi uma de suas poesias quê fala assim: Se pássaros estão mudos Abram as gaiolas. O quê você quis expressar nessa poesia sua Luíza?
(21:26:08) ModeradorEntretextos entrando na conversa...
(21:25:30) Wellington Assis Oie Luíza! Boa noite
(21:23:05) Silvana como você classificaria sua poesia?
(21:21:49) Luiza Cantanhede como diz Pedro Salinas: A poesia é uma aventura ao absoluto...
(21:20:28) Luiza Cantanhede num primeiro momento: O chão! agora a imprecisão, a busca (do quê, não sei)
(21:18:54) Luiza Cantanhede entrando na conversa...
(21:18:14) Moderador Entretexto Quais palavras melhor definem sua poética?
(21:18:06) Luiza Cantanhede saindo da conversa...
(21:13:14) Luiza Cantanhede estou de volta
(21:12:46) Luiza Cantanhede entrando na conversa...
(21:11:47) Luiza Cantanhede saindo da conversa...
(21:11:36) Luiza Cantanhede para mim não é utopia, a Poesia tem função social sim
(21:11:15) Wellington Assis entrando na conversa...
(21:09:14) Silvana poesia tem função social ou isso é utopia?
(21:07:15) Luiza Cantanhede Não posso explicitar o que na verdade absorvi, mas sei do encantamento que me causaram
(21:06:31) Silvana https://www.wattpad.com/story/39912076-palafitas
(21:05:18) Moderador Entretexto O que você absorveu da poesia de Drumond e Vinicius?
(21:03:51) Luiza Cantanhede depois Vieram Drummond, Vinícius, Ligia Fagundes, Clarice...
(21:02:59) Luiza Cantanhede eu li muito os clássicos, e ainda muito jovem, necessito rele-los: Jane Austen, Nabokov, Cervantes, Dante, Guimarães Rosa, Graciliano, Lima Barreto...Estes e vários outros, eu li na adolescência
(21:00:17) Moderador Entretexto Quais suas influências de leitura?
(20:59:30) Luiza Cantanhede moderador realmente é também por aí... falo como Ezra Pound: É que sou um Poeta e bebo vida, como os homens menores bebem vinho
(20:57:21) Luiza Cantanhede minha mãe teve vários ofícios na vida: quebradeira de coco, lavadora, lavadeira, isto se fixou na minha mente e as minhas retinas poéticas foram captando essas imagens
(20:55:46) Moderador Entretexto Sua poesia está permeada de elementos etéreos (sol, lua, mar etc.). O que eles significam para você como forma de expressão? Seria uma forma de resgatar a raiz romântica que no fundo habita a mais impessoal das poesias?
(20:53:59) Luiza Cantanhede Silvana, creio eu que todo escritor tem um ponto de partida para iniciar uma obra, a exemplo de Guimarães Rosa e Graciliano com o Sertão, Shofia de Mello Breyner com o mar...e a imagem que se ficou na minha memória foi o rio e as Palafitas
(20:50:55) Silvana Palafitas é uma evocação de que tipo de paisagem subjetiva?
(20:50:51) Luiza Cantanhede a poesia me permitiu esse ajuste com a realidade
(20:50:01) Luiza Cantanhede havia em mim neste primeiro grito poético, uma espécie de obrigação de eternizar os elementos que rondaram a minha infância
(20:47:57) Luiza Cantanhede Paul Celan falou que a Poesia é uma espécie de regresso a casa, eu tenho realmente o chão como reserva Poética, costumo dizer que cato a Poesia do nada, muito embora eu conheça os sons do machado, da enxada e dos anzóis nas águas dos rios de minha região
(20:47:52) Silvana entrando na conversa...
(20:44:46) Moderador Entretexto Há em sua poesia uma forte ligação com a terra, em versos de grande força telúrica. Qual o lugar do chão como reserva poética?
(20:44:27) Luiza Cantanhede no caso a menina que brincava debaixo das \"Palafitas\" que se encantava com o rio...
(20:43:14) Luiza Cantanhede No caso do meu primeiro livro, mesmo sem me perguntar muito os \"porquês\" eu quis conservar alguma coisa em mim do que eu deixei de ser um dia
(20:40:46) Moderador Entretexto Qual o lugar da forma em seu verso?
(20:37:18) Luiza Cantanhede e talvez dá vontade de preservar o que eu vi um dia
(20:36:06) Luiza Cantanhede do olhar sensível
(20:35:49) Luiza Cantanhede das experiências...
(20:35:05) Moderador Entretexto Como nasce sua poesia?
(20:32:43) Moderador Entretexto Boa noite Luiza
(20:32:38) Luiza Cantanhede boa noite! um prazer está aqui
(20:32:12) Moderador Entretexto entrando na conversa...
(20:31:44) Luiza Cantanhede entrando na conversa...
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

18.10.2018 - DOM CLIDENOR E DOM QUIXOTE DE LA MANCHA

O nome Meduna foi dado em homenagem a um grande psiquiatra francês. O sanatório é uma bela construção, com seus pavilhões brancos, seus alpendres, seus corredores.

17.10.2018 - A PANTERA 3

A PANTERA 3

16.10.2018 - NEUZA MACHADO: A DESTRUIÇÃO PELO FOGO

NEUZA MACHADO: A DESTRUIÇÃO PELO FOGO

11.10.2018 - A história do sapo Zé

Falou que o garoto, além do amor aos livros, gostava de desenhar, escrever e era componente de uma banda musical.

08.10.2018 - DOIS: A PANTERA

DOIS: A PANTERA

06.10.2018 - COMO CONHECI NEUZA MACHADO

COMO CONHECI NEUZA MACHADO

05.10.2018 - A PANTERA. 1

A PANTERA. 1

05.10.2018 - A AMIZADE: BREVÍSSIMA REFLEXÃO

Na questão

04.10.2018 - A IMENSURÁVEL FLORESTA

A IMENSURÁVEL FLORESTA

03.10.2018 - A arte fotográfica de Valdeci Ribeiro

Valdeci se esmera em aguardar o momento mais adequado de luminosidade, em procurar o melhor ângulo, para conseguir o resultado que deseja.

02.10.2018 - Relembrando 1989

É preciso entender a verdadeira situação crítica em que se encontra o nosso país. Todo o cuidado é pouco.

01.10.2018 - Psycho Pass 10: batalha no túnel do metrô

Prossigo a análise, na forma de guia de episódios, da série de animação "Psycho Pass" com as aventuras futuristas da policial Akane Tsunemori, num Japão distópico onde a sociedade é controlada.

28.09.2018 - A GRANDEZA DESPOJADA

A GRANDEZA DESPOJADA

28.09.2018 - A GRANDEZA DESPOJADA

A GRANDEZA DESPOJADA

28.09.2018 - Noturno de Oeiras no Fórum da Velhacap

Noturno de Oeiras, com essa linda placa, marca mais um tento, “um verdadeiro gol de placa”.

27.09.2018 - COTIDIANO BRASILEIRO ATUAL

Cena carioca

25.09.2018 - BERNARDO GUIMARÃES E JOÃO GUIMARÃES ROSA: DOIS CASOS DE METANARRATIVA

Ao abordarmos a questão da metanarrativa

24.09.2018 - A arte do estilo

O estilo é o resultado não só do que o cara sabe fazer muito bem, mas do que ele não consegue fazer direito

23.09.2018 - A índia Maacu

Bruscamente, incompreensivelmente, irrompendo com fúria e fulgor como Febo no horizonte

23.09.2018 - Uso impessoal de haver, ter e fazer

Emprega-se o verbo haver como impessoal – isto é, sempre na 3ª pessoa do singular – quando tem o sentido de existir.

20.09.2018 - O maçom e barbeiro Chagas Vieira

Um Mestre da tesoura e da Sublime Arte Real.

19.09.2018 - praça da saudade

praça da saudade

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br