Dilson Lages Monteiro Segunda-feira, 28 de maio de 2018
Paradoxo
Margarete  Hülsendeger
Tamanho da letra A +A

Elétrons

Elétrons

 Vivemos no mundo do irreal onde tudo o que vemos é somente uma sombra imperfeita de uma realidade mais perfeita.

Platão

Há quanto tempo esperavam? Não sabiam. Essa, no entanto, sempre fora a marca de suas vidas: longos momentos de um não agir, intercalados por breves períodos de intensa agitação. Contudo, o que os tornava, muitas vezes, impacientes e nervosos era o fato de estarem confinados em um espaço diminuto. Nele permaneciam tão próximos uns dos outros que tinham dificuldades até para respirar. Nesses momentos, sonhavam com a liberdade. Livres, poderiam cumprir a missão para a qual se sentiam predestinados. Para alguns, entretanto, essa seria uma viagem só de ida, enquanto, para outros, um movimento ininterrupto, partindo e voltando, de cá para lá. Porém, nenhum deles sentia medo, pois uma força invisível sempre os impulsionara orientando-os no caminho a seguir. Quando ela estava presente o espaço em torno deles se modificava, preparando-os para o que poderia acontecer. O nervosismo e a ansiedade, nessas ocasiões, aumentavam, tornando a tensão insuportável. Esse, no entanto, era um preço muito baixo a pagar. Afinal, a presença dessa poderosa força impelindo-os para frente era seu único passaporte para a tão sonhada liberdade. E quando ela finalmente fosse atingida eles, no cumprimento do seu destino, passariam a ser chamados de Mensageiros ou Portadores.

****

No quarto, um pesadelo despertou o menino. Assustado, ele viu no escuro os monstros do seu sonho. Com medo, pôs-se a gritar. Seu pai o encontrou em lágrimas. E apenas quando a lâmpada do abajur foi ligada, e o quarto se encheu de luz, o menino, enfim, parou de chorar.

****

Felizes por sua liberdade recém-conquistada, os Mensageiros esforçavam-se em realizar a sua missão. No fio incandescente da lâmpada acesa, em silêncio eles corriam de um lado para o outro, sem saber que, com seu esforço, os monstros que tanto assustaram o menino, como num passe de mágica, simplesmente haviam desaparecido.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

05.03.2018 - Elétrons

12.02.2018 - OS LIMITES DA LOUCURA

04.12.2017 - PERDIDA

04.11.2017 - LIÇÃO DE CASA

03.10.2017 - HERESIA! PARTE II

05.09.2017 - HERESIA!

07.08.2017 - DIÁRIO DE UM SOBREVIVENTE - PARTE III

03.06.2017 - DIÁRIO DE UM SOBREVIVENTE - PARTE II

08.05.2017 - DIÁRIO DE UM SOBREVIVENTE - PARTE I

01.04.2017 - UM ARCO-ÍRIS SÓ MEU

13.01.2017 - O PRÍNCIPE - PARTE I

04.09.2016 - A CASA AZUL

05.06.2016 - VESTIDA DE NEGRO

05.05.2016 - ADEUS!

12.04.2016 - A APRENDIZAGEM DA MENTIRA

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

26.05.2018 - Padre Gabriel Malagrida, um taumaturgo no sertão.

O acadêmico Reginaldo Miranda relembra a trajetória de vida do padre Malagrida, último mártir da Inquisição, em Portugal.

24.05.2018 - O poema profético

Mithrídates Correa é o poeta mais desconhecido da Amazônia

24.05.2018 - Jornal Inovação a a queima dos tapumes

Foi um jornal bravo e independente, que combatia a administração pública municipal, estadual e federal, ainda na época da ditadura militar.

22.05.2018 - O grande tesouro

O grande tesouro

21.05.2018 - Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva, pioneiro da literatura piauiense.

O acadêmico Reginaldo Miranda aborda a obra de um pioneiro escritor piauiense.

21.05.2018 - Tradução do poema Canción de amor

Quisiera ser convexo

19.05.2018 - O CASAMENTO REAL

O CASAMENTO REAL

18.05.2018 - Alguma coisa vem mudando no país

É só observar bem. Temos de apoiar as mudanças para melhor. O Brasil precisa continuar sendo passado a limpo porque tem muita sujeira de fato.

18.05.2018 - Herculano Moraes

O acadêmico Reginaldo Miranda presta homenagem a seu amigo e colega de APL, Herculano Moraes.

17.05.2018 - MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

17.05.2018 - A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

16.05.2018 - Viagem a Manaus

À noite, ouvi, muitas vezes, o canto rascante de cigarras e a sinfonia álacre dos batráquios.

15.05.2018 - Psycho Pass 9: Akane se impõe

Prosseguindo o guia de episódios do seriado japonês policial e de ficção científica "Psycho Pass" veremos como a Inspetora Akane lida com a hostilidade de seu colega...

14.05.2018 - Retrato de minha mãe (*)

Cristo disse que quem desejasse ser o maior, deveria ser o que mais servisse. Portanto, deveria ser o maior e o melhor dos servos. Mamãe (quase) renunciou a si mesma, para servir aos outros.

13.05.2018 - Capitão Marcos Francisco de Araújo Costa

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um importante militar e educador do período colonial.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br