Dilson Lages Monteiro Domingo, 16 de dezembro de 2018
Eclética
Elmar Carvalho
Tamanho da letra A +A

O TALENTO ESCULTÓRICO DE BRAGA TEPI

 

O TALENTO ESCULTÓRICO DE BRAGA TEPI

 

Elmar Carvalho

 

Hoje à tarde fui acordado de um cochilo por um recado de meu irmão César Carvalho, que me mandava entregar um álbum com fotografias coloridas de esculturas de Braga Tepi, que foi convidado a expor suas obras na H. Rocha Galeria de Arte, no Rio de Janeiro. A exposição será aberta no próximo dia 04 de março e se estenderá até o dia 23 do mês seguinte.

 

Confesso que ainda não ouvira falar nesse artista, e, portanto, não conhecia seus trabalhos. Por isso mesmo, olhei o fólio lentamente, com muita atenção. Surpreendi-me com a qualidade das peças. São obras construídas com sucatas de ferro. Mas nota-se que o artista teve muito cuidado na escolha das peças e no modo como as interligou, como as encaixou e dispôs, dando harmonia ao conjunto.

 

Mesmo nas esculturas grandes e pesadas, pode ser visto, em certas partes da composição, um toque detalhista, uma minúcia de obra minimalista, como se fora um trabalho de delicada ourivesaria, fazendo como que um contraste com as partes maiores e mais compactas. Apenas pelo título de algumas obras, que remete à cultura humanística e clássica, percebe-se que Braga Tepi não é um artesão ingênuo, e muito menos primitivista.

 

Dentro do que é possível nesse tipo de escultura, concebida com a montagem das mais diferentes peças de sucatas de ferro, que não permite uma moldagem total, pode-se afirmar que ele é um figurativista de alta linhagem, mas sem ser um copiador servil e fotográfico da natureza, porque sabe distorcê-la artisticamente, adicionando elementos colhidos na imaginação, na mitologia, nos sonhos, podendo-se tirar a conclusão de que ele agrega a algumas de suas esculturas, com muito refinamento e graça, elementos extraídos do surrealismo.

 

Sem dúvida, pelo que pude perceber das peças constantes do álbum, é um dos maiores escultores do Piauí, e inegavelmente é um dos grandes artistas brasileiros. Por isso, não me chateei de ter o meu cochilo sido interrompido abruptamente. Até porque mergulhei num sonho maior e melhor, que é a arte mágica, supra e surreal de Braga Tepi.

 

12 de fevereiro de 2010

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

02.12.2018 - Meus tempos de editor na FCMC

14.11.2018 - Expedição a Batalha

07.11.2018 - O Poeta das Gaivotas

01.11.2018 - Depoimento sobre Alcenor Candeira Filho

26.10.2018 - Cemitério campestre

18.10.2018 - Dom Clidenor e Dom Quixote de La Mancha

11.10.2018 - A história do sapo Zé

03.10.2018 - A arte fotográfica de Valdeci Ribeiro

28.09.2018 - Noturno de Oeiras no Fórum da Velhacap

20.09.2018 - O maçom e barbeiro Chagas Vieira

13.09.2018 - Didi

04.09.2018 - Mergulhando nas lembranças de Cavour

31.08.2018 - CAMPANHAS ELEITORAIS ACADÊMICAS

13.08.2018 - Buchada de bode na Fazenda do Rócio

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

15.12.2018 - A ARTE DA FUGA

A ARTE DA FUGA

12.12.2018 - Lovecraft e o Modernismo

O escritor de Providence é um dos grandes mestres da literatura de horror

11.12.2018 - A PANTERA 17

A PANTERA 17

05.12.2018 - A PANTERA 16

A PANTERA 16

05.12.2018 - 15. A PANTERA

15. A PANTERA

04.12.2018 - O AUTOR E AS GRALHAS

Alguns escritores

02.12.2018 - "Names", novela de Dalton Almeida

Ficção científica brasileira existe e é muito ativa. Vejamos este exemplo.

02.12.2018 - Meus tempos de editor na FCMC

Foi, na época a que me refiro, sem a menor sombra de dúvida, o mais importante e arrojado plano editorial do Estado do Piauí...

01.12.2018 - PRESSÁGIOS: DAS MOIRAS AOS SUECOS

Cloto, Láquesis e Átropos, três irmãs que tinham em suas mãos o destino dos deuses e dos homens.

26.11.2018 - A Pantera - 14

A casa em ruínas. Por isso, resolvemos morar na lancha que, apesar de apertada, nos oferecia melhor conforto e proteção

19.11.2018 - A Pantera - 13

Jara se recusou a entrar no elevador, que era pequeno e ameaçador. Subimos os sete andares de escada, eu e ela

18.11.2018 - Agro orgulho

Em meio século, o Brasil se tornou potência agrícola, com o preço dos alimentos caindo pela metade

18.11.2018 - No Facebook: entre o comentário e o artigo

Habituado que

14.11.2018 - A Pantera - 12

Ouvíamos todas as noites, no bar, a voz daquela cantora de jazz, em fita-cassete

14.11.2018 - Expedição a Batalha

O certo é que num percurso de poucos quilômetros, vimos cerrado ou chapada, caatinga ou sertão, este em tudo semelhante ao que é visto nas fotografias do cangaceiro Lampião.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br