Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 14 de agosto de 2018
Eclética
Elmar Carvalho
Tamanho da letra A +A

O goleiro e o Gato

O goleiro e o Gato

Elmar Carvalho

Joguei futebol até os dezoito anos de idade, sobretudo na posição de goleiro, mas também atuando, algumas vezes, na lateral e na ponta direita. O trabalho e meus estudos me impediram de continuar praticando o esporte bretão. Depois, só muito esporadicamente voltei a jogar, mormente após ingressar na magistratura, no time de nossa associação – AMAPI, por um curto período.

Praticamente havia esquecido essa minha faceta esportiva, quando, muitos anos depois, o professor Zé Francisco Marques me disse que eu havia sido um bom goleiro. Como eu lhe tenha dito que já pouco me lembrava de minhas atuações goleirísticas, o Zé Francisco escreveu a crônica “Quem te ensinou a voar?”, que muito me comoveu, na qual descreveu as minhas principais características e uma de minhas defesas. Foi um ato de generosidade, mas o fato é que esse texto se encontra publicado em meu livro “O Pé e a Bola”, assim como na internet.

Portanto, foi motivo de agradável surpresa e regozijo, o Gato, famoso e respeitado árbitro do futebol teresinense, na última comemoração natalina da AMAPI, me haver dito que eu fora um bom goleiro. Ele me viu jogando em algumas disputas do time amapiano. Como eu lhe tenha indagado se falava com sinceridade, ele não só confirmou o que dissera, como ainda descreveu uma “ponte” que fiz para defender um chute do adversário.

Olhou para o campo de futebol, que fica perto de nosso clube social, e apontou para a trave em que eu praticara a defesa. Confesso que fiquei extasiado, no momento em que ele acrescentou que até perguntou se eu havia sido goleiro profissional. Alguns colegas magistrados presenciaram essa conversa, embora possam não ter ouvido o seu conteúdo, em virtude do som musical muito alto.

Eu tinha em torno de cinquenta anos, e foi nessa época que deixei de jogar para sempre, com exceção de uma última partida, que fiz em Regeneração, em que, segundo os presentes, atuei muito bem. Nessa derradeira partida, modéstia às favas, fiz algumas ótimas defesas. Essa minha última atuação como golquíper foi relatada na crônica “Despedida de goleiro”, que também se encontra postada na internet.  

Pelo que o amigo e grande árbitro Gato me relatou, a minha defesa pode ser considerada, sem nenhuma falta de modéstia, como uma bela “ponte”, mas não uma ponte qualquer, porém uma legítima e deslumbrante ponte estaiada. Valeu, grande Gato! Muito obrigado. 

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

13.08.2018 - BUCHADA DE BODE NA FAZENDA DO ROCIO

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

17.07.2018 - Elmar Carvalho e seu ‘Histórias de Évora’ (*)

12.07.2018 - Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí

29.06.2018 - FOGO EM PALHOÇAS DE TERESINA

19.06.2018 - Dom Pedro e São Félix do Araguaia

06.06.2018 - Louro da Banca, patrimônio cultural parnaibano

29.05.2018 - Retratos e uma charge de Gervásio Castro

24.05.2018 - Jornal Inovação a a queima dos tapumes

16.05.2018 - Viagem a Manaus

14.05.2018 - Retrato de minha mãe (*)

09.05.2018 - Barras: histórias e saudades

05.05.2018 - Máscaras

27.04.2018 - Sobre "Histórias de Évora” de Elmar Carvalho

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

13.08.2018 - BUCHADA DE BODE NA FAZENDA DO ROCIO

Em seguida, disse que ele mesmo iria mandar preparar uma buchada, a ser feita com bode de seu próprio rebanho. Marcamos a data e o local do repasto.

12.08.2018 - PASSANDO PELO CENTRO DO RIO DE JANEIRO

Não cfoi hoje nem ontem

12.08.2018 - Julião Afonso Serra, um dos quatro grandes sesmeiros do Piauí.

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um dos conquistadores e maiores sesmeiros do Piauí

10.08.2018 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

10.08.2018 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

05.08.2018 - HOW GOES THE ENEMY?

o ePIFÂNICO

04.08.2018 - Cidadela saqueada

Fato é que o crime organizado está levando a melhor. Até quando?

04.08.2018 - violência nas escolas

Nunca mais ninguém o perturbou

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

O ponto alto da solenidade será o lançamento do livro “Câmara Municipal de Campo Maior: 256 Anos de História”, da autoria do professor e historiador Celson Chaves

01.08.2018 - Aborto: crime não pode deixar de ser crime

Não podemos calar diante da barbaridade.

01.08.2018 - MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA

MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA – ROGEL SAMUEL

31.07.2018 - Mario Benedetti

Mario Benedetti

27.07.2018 - Os males do Crivella: um prefeito que não deu certo

Eis um prefeito

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

Gigliola Cinquetti e o ingênuo “Dio, come ti amo” fizeram muitas adolescentes verterem profusas e sentidas lágrimas, com direito a profundos soluços e palpitações.

25.07.2018 - Eurídice

049

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br