Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 14 de agosto de 2018
Eclética
Elmar Carvalho
Tamanho da letra A +A

Fotos Antigas

Fotos Antigas

 

Elmar Carvalho

 

Onde estão aquelas pessoas

que assistiam ao comício na velha praça,

que já não existe, exceto na foto desbotada

e carcomida pelas traças implacáveis?

 

Muitas já estão dormindo,

dormindo profundamente

(como no poema de Bandeira),

no Cemitério da Igualdade

ou em outro campo santo qualquer.

A própria praça já não existe

na sua sedutora arquitetura de então.

 

Por causa da usura, dos metais e do tempo,

alguns casarões foram demolidos,

dando lugar a modernosas formas,

sem história, sem lembranças.

Outros permanecem, com os aleijões das “reformas”.

 

O homem que passava

para sempre ficou

congelado na foto,

em inconclusa passada.

 

Para onde se foi, com a sua pressa,

com as suas preocupações e planos,

e as suas momentâneas contingências?

 

Decerto, deserto de tudo,

hoje já não tem pressa,

nem preocupações,

nem dúvidas e dores,

para sempre imoto em sua cova.

 

A moça bonita, eternamente

moça e bonita na fotografia,

terá morrido moça e bonita

ou terá sentido na pele e na alma

o desmoronar lento do tempo?

 

A águia metálica

voou do cais do porto

para outro logradouro, de onde,

pousada no poleiro monumental,

assiste o desfilar frenético dos carros,

entre movimentadas avenidas.

Ela, contudo, permanece imóvel,

embora com as longas asas distendidas,

hierática, sem pressa e sem medo.

 

A maria fumaça que passava

soltando fumaça e apitando

não mais passará, não mais passará,

com as suas negras engrenagens,

nem mesmo travestida

em locomotiva a diesel.

Até os trilhos e dormentes

lhe foram arrancados, e as trilhas, apagadas.

 

Os namorados que se amavam

e se afagavam, à sombra

da velha pérgola ou do caramanchão

de outrora, ainda se amam, ainda se afagam?

São tantos os sonhos desfeitos...

 

Um dia, os retratos estarão apagados,

e este poema, esquecido.

E não restará sequer uma tabuleta

ou um bilhete esmaecido

em (esconsa) gaveta.    

  

(*) Após vários anos sem escrever nenhum poema, fiz hoje (22.11.17) este texto, que espero mereça essa classificação ou rótulo.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

13.08.2018 - BUCHADA DE BODE NA FAZENDA DO ROCIO

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

17.07.2018 - Elmar Carvalho e seu ‘Histórias de Évora’ (*)

12.07.2018 - Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí

29.06.2018 - FOGO EM PALHOÇAS DE TERESINA

19.06.2018 - Dom Pedro e São Félix do Araguaia

06.06.2018 - Louro da Banca, patrimônio cultural parnaibano

29.05.2018 - Retratos e uma charge de Gervásio Castro

24.05.2018 - Jornal Inovação a a queima dos tapumes

16.05.2018 - Viagem a Manaus

14.05.2018 - Retrato de minha mãe (*)

09.05.2018 - Barras: histórias e saudades

05.05.2018 - Máscaras

27.04.2018 - Sobre "Histórias de Évora” de Elmar Carvalho

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

13.08.2018 - BUCHADA DE BODE NA FAZENDA DO ROCIO

Em seguida, disse que ele mesmo iria mandar preparar uma buchada, a ser feita com bode de seu próprio rebanho. Marcamos a data e o local do repasto.

12.08.2018 - PASSANDO PELO CENTRO DO RIO DE JANEIRO

Não cfoi hoje nem ontem

12.08.2018 - Julião Afonso Serra, um dos quatro grandes sesmeiros do Piauí.

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um dos conquistadores e maiores sesmeiros do Piauí

10.08.2018 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

10.08.2018 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

05.08.2018 - HOW GOES THE ENEMY?

o ePIFÂNICO

04.08.2018 - Cidadela saqueada

Fato é que o crime organizado está levando a melhor. Até quando?

04.08.2018 - violência nas escolas

Nunca mais ninguém o perturbou

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

O ponto alto da solenidade será o lançamento do livro “Câmara Municipal de Campo Maior: 256 Anos de História”, da autoria do professor e historiador Celson Chaves

01.08.2018 - Aborto: crime não pode deixar de ser crime

Não podemos calar diante da barbaridade.

01.08.2018 - MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA

MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA – ROGEL SAMUEL

31.07.2018 - Mario Benedetti

Mario Benedetti

27.07.2018 - Os males do Crivella: um prefeito que não deu certo

Eis um prefeito

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

Gigliola Cinquetti e o ingênuo “Dio, come ti amo” fizeram muitas adolescentes verterem profusas e sentidas lágrimas, com direito a profundos soluços e palpitações.

25.07.2018 - Eurídice

049

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br