Dilson Lages Monteiro Terça-feira, 14 de agosto de 2018
Eclética
Elmar Carvalho
Tamanho da letra A +A

Carta/resenha de Histórias de Évora (*)

Carta/resenha de Histórias de Évora (*)

Meu caro mestre Elmar,

Foi quase de uma sentada só, de um único folego que li seu livro Histórias de Évora.  Acredito que seu primeiro romance, visto que de sua lavra conheço ensaios, contos e poesias. Foi sem dúvida uma bela estreia, merecendo todas as congratulações pela iniciativa e mais ainda pela criatividade.

Como você mesmo confessa a obra contém certas histórias vividas pelo autor, por amigos e outras concebidas pela imaginação criadora, todas elas adaptadas ao contexto pretendido.

Confesso que Histórias de Évora me levaram à juventude vivida em minha Floriano, nada diferente da sua cidade fictícia, iguais às nossas do interior. Recordei várias passagens vividas por mim e amigos daquela época, alguns dos quais perdi o contato ao longo da vida, mas que agora vieram à mente com o gosto da saudade.

Relembrei a retreta dominical na praça Sebastião Martins, sempre sob a batuta do Mestre Eugênio. As salas de aulas do Educandário Santa Joana D’Arc e do Ginásio Santa Teresinha e assim muitos professores a quem devo os primeiros passos de minha formação. Foi fácil voltar à memória o Bar São Pedro, a Sertã, o Flutuante, que ainda sobrevive. Seu livro também me fez recordar o Bumba meu Boi que Né Preto comandava no mês de julho e terminava sempre nas margens do rio Parnaíba, onde o boi ia beber água. Foi ótimo relembrar os carnavais com os blocos Os Piratas, Os Malandros, o Bota pra Quebrar, Os Pilantras, onde todos se divertiam sadiamente visitando casas familiares previamente selecionadas para ali cantar, tocar, comer e beber por conta da gentileza dos anfitriões. Foi muito bom voltar à memória a nossa “Zona Planetária” onde pontuavam o Maracangalha, a Eva, a Pretinha, todos fazendo parte do complexo Pau num Cessa. 

Creia-me meu caro poeta, Histórias de Évora foi uma leitura gostosa em muitos sentidos, mas confesso o saudosismo, aquele que nos traz de volta a vivências agradáveis, foi o sentido maior. 

Parabéns, meu caro mestre. Estou ansioso pela próxima obra que com certeza já está na forma.

Seu sempre admirador

Cristóvão Augusto de Araújo Costa

(*) Carta internética (e-mail) enviada pelo autor, após a leitura de Histórias de Évora, romance de Elmar Carvalho. Cristóvão Augusto é servidor público federal aposentado e é um dos editores da Coleção Florianenses, importante periódico publicado pela Fundação Floriano Clube.   

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

13.08.2018 - BUCHADA DE BODE NA FAZENDA DO ROCIO

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

17.07.2018 - Elmar Carvalho e seu ‘Histórias de Évora’ (*)

12.07.2018 - Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí

29.06.2018 - FOGO EM PALHOÇAS DE TERESINA

19.06.2018 - Dom Pedro e São Félix do Araguaia

06.06.2018 - Louro da Banca, patrimônio cultural parnaibano

29.05.2018 - Retratos e uma charge de Gervásio Castro

24.05.2018 - Jornal Inovação a a queima dos tapumes

16.05.2018 - Viagem a Manaus

14.05.2018 - Retrato de minha mãe (*)

09.05.2018 - Barras: histórias e saudades

05.05.2018 - Máscaras

27.04.2018 - Sobre "Histórias de Évora” de Elmar Carvalho

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

13.08.2018 - BUCHADA DE BODE NA FAZENDA DO ROCIO

Em seguida, disse que ele mesmo iria mandar preparar uma buchada, a ser feita com bode de seu próprio rebanho. Marcamos a data e o local do repasto.

12.08.2018 - PASSANDO PELO CENTRO DO RIO DE JANEIRO

Não cfoi hoje nem ontem

12.08.2018 - Julião Afonso Serra, um dos quatro grandes sesmeiros do Piauí.

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um dos conquistadores e maiores sesmeiros do Piauí

10.08.2018 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

10.08.2018 - EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

EM BUSCA DA POÉTICA DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

05.08.2018 - HOW GOES THE ENEMY?

o ePIFÂNICO

04.08.2018 - Cidadela saqueada

Fato é que o crime organizado está levando a melhor. Até quando?

04.08.2018 - violência nas escolas

Nunca mais ninguém o perturbou

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

O ponto alto da solenidade será o lançamento do livro “Câmara Municipal de Campo Maior: 256 Anos de História”, da autoria do professor e historiador Celson Chaves

01.08.2018 - Aborto: crime não pode deixar de ser crime

Não podemos calar diante da barbaridade.

01.08.2018 - MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA

MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA – ROGEL SAMUEL

31.07.2018 - Mario Benedetti

Mario Benedetti

27.07.2018 - Os males do Crivella: um prefeito que não deu certo

Eis um prefeito

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

Gigliola Cinquetti e o ingênuo “Dio, come ti amo” fizeram muitas adolescentes verterem profusas e sentidas lágrimas, com direito a profundos soluços e palpitações.

25.07.2018 - Eurídice

049

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br