Dilson Lages Monteiro Quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Eclética
Elmar Carvalho
Tamanho da letra A +A

DOM CLIDENOR E DOM QUIXOTE DE LA MANCHA

 

 

DOM CLIDENOR E DOM QUIXOTE DE LA MANCHA 

 

Elmar Carvalho 

 

            Na reunião da APL, deste sábado, o acadêmico Humberto Guimarães, que é médico psiquiatra, ao usar da palavra, informou que em breves dias o sanatório Meduna será desativado. Lamentou profundamente o fato. A memória de seu criador, o médico e acadêmico, já falecido, Clidenor Freitas Santos, foi festejada vivamente na sessão. Consta que quando ele retornou, formado, a Teresina, libertou os loucos das correntes e de outros tratamentos desumanos. As correntes estariam enferrujando no fundo do Parnaíba.

 

             O nome Meduna foi dado em homenagem a um grande psiquiatra francês. O sanatório é uma bela construção, com seus pavilhões brancos, seus alpendres, seus corredores. Fica no centro de um aprazível bosque. Até parece uma aldeia, onde ainda alvejam a casa senhoril e a capelinha branca, sobre suave colina, que compõem o aspecto bucólico do conjunto. Foi uma obra audaciosa para a época, e mesmo nos dias de hoje ainda seria.

 

             Clidenor, quando o conheci, era um velho de boa estatura, ereto, empinado, elegante, inclusive no modo como se vestia. Usava uma velha Mercedes, em perfeito estado, tão elegante quanto ele. Admirava música erudita, sobretudo Mozart, Bach e Beethoven. Fez seus filhos ouvirem esses grandes compositores, para lhes incutir, desde cedo, o gosto por essa divina arte.

 

             Tornou-se empresário do ramo da agroindústria, especialmente de álcool combustível. Admirador entusiástico de Cervantes, mormente de sua criatura, o fidalgo, cavaleiro e idealista Dom Quixote de la Mancha. Possuía vários exemplares do livro que narrava suas aventuras, e presenteava amigos com exemplares dessa obra por ele considerada genial. Diria que o Dr. Clidenor era também uma espécie de Quixote, tanto na política como nos seus empreendimentos empresariais, pelo seu idealismo e certo romantismo de sua postura.

 

             Segundo dizem aqueles que a conheceram, a sua biblioteca seria, talvez, a maior biblioteca particular do Piauí, não só em quantidade de livros, mas também pela excelência e raridade de muitas obras. Era uma figura carismática, a pregar o belo e o bem, com entusiasmo e convicção.

 

             Ele, que foi quixotesco no bom sentido da palavra, ergueu uma belíssima estátua do “cavaleiro da triste figura” nos portais de sua realização máxima, o sanatório Meduna, que, agora, lamentavelmente será desativado. Mas Dom Quixote, a cavalgar o Rocinante, com a sua lança e o seu escudo, talvez consiga defender essa obra meritória, que relevantes serviços prestou ao estado.

 

22 de fevereiro de 2010

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

18.10.2018 - DOM CLIDENOR E DOM QUIXOTE DE LA MANCHA

11.10.2018 - A história do sapo Zé

03.10.2018 - A arte fotográfica de Valdeci Ribeiro

28.09.2018 - Noturno de Oeiras no Fórum da Velhacap

20.09.2018 - O maçom e barbeiro Chagas Vieira

13.09.2018 - Didi

04.09.2018 - Mergulhando nas lembranças de Cavour

31.08.2018 - CAMPANHAS ELEITORAIS ACADÊMICAS

13.08.2018 - Buchada de bode na Fazenda do Rócio

02.08.2018 - Dois momentos felizes de uma bela tarde

26.07.2018 - Gênese de Emoção no Circo

17.07.2018 - Elmar Carvalho e seu ‘Histórias de Évora’ (*)

12.07.2018 - Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí

29.06.2018 - FOGO EM PALHOÇAS DE TERESINA

19.06.2018 - Dom Pedro e São Félix do Araguaia

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

18.10.2018 - DOM CLIDENOR E DOM QUIXOTE DE LA MANCHA

O nome Meduna foi dado em homenagem a um grande psiquiatra francês. O sanatório é uma bela construção, com seus pavilhões brancos, seus alpendres, seus corredores.

17.10.2018 - A PANTERA 3

A PANTERA 3

16.10.2018 - NEUZA MACHADO: A DESTRUIÇÃO PELO FOGO

NEUZA MACHADO: A DESTRUIÇÃO PELO FOGO

11.10.2018 - A história do sapo Zé

Falou que o garoto, além do amor aos livros, gostava de desenhar, escrever e era componente de uma banda musical.

08.10.2018 - DOIS: A PANTERA

DOIS: A PANTERA

06.10.2018 - COMO CONHECI NEUZA MACHADO

COMO CONHECI NEUZA MACHADO

05.10.2018 - A PANTERA. 1

A PANTERA. 1

05.10.2018 - A AMIZADE: BREVÍSSIMA REFLEXÃO

Na questão

04.10.2018 - A IMENSURÁVEL FLORESTA

A IMENSURÁVEL FLORESTA

03.10.2018 - A arte fotográfica de Valdeci Ribeiro

Valdeci se esmera em aguardar o momento mais adequado de luminosidade, em procurar o melhor ângulo, para conseguir o resultado que deseja.

02.10.2018 - Relembrando 1989

É preciso entender a verdadeira situação crítica em que se encontra o nosso país. Todo o cuidado é pouco.

01.10.2018 - Psycho Pass 10: batalha no túnel do metrô

Prossigo a análise, na forma de guia de episódios, da série de animação "Psycho Pass" com as aventuras futuristas da policial Akane Tsunemori, num Japão distópico onde a sociedade é controlada.

28.09.2018 - A GRANDEZA DESPOJADA

A GRANDEZA DESPOJADA

28.09.2018 - A GRANDEZA DESPOJADA

A GRANDEZA DESPOJADA

28.09.2018 - Noturno de Oeiras no Fórum da Velhacap

Noturno de Oeiras, com essa linda placa, marca mais um tento, “um verdadeiro gol de placa”.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br