Dilson Lages Monteiro Sexta-feira, 25 de maio de 2018
Crônica de sempre
Rogel Samuel (atualização diária)
Tamanho da letra A +A

FELIZ DE QUEM COM CÂNTICOS SE ESCONDE

 
FELIZ DE QUEM COM CÂNTICOS SE ESCONDE
 
ROGEL SAMUEL
 
Eu já escrevi várias vezes sobre o mesmo tema. Nos dias escuros, chuvosos, de hoje, me pego a pensar na Primavera, que virá. Ainda sou marxista, e assim, otimista. O sol ainda vai luzir no horizonte. Talvez um sol que não se apague, como disse Dugpa Rinpochê. Talvez não para mim, que velho estou para esperá-lo. Mas haverá sempre o sol sobre a chuva desses campos de um soneto de Jorge de Lima, que releio sempre, que não me canso de ler, quando deprimido, triste:
 
“Qualquer que seja a chuva desses campos
devemos esperar pelos estios;
e ao chegar os serões e os fiéis enganos
amar os sonhos que restarem frios”.
(Jorge de Lima, Invenção de Orfeu - Canto I – XXVI)
Já pensei assim. Se tudo estiver bem, lembre-se de que tempos piores podem advir: “Qualquer que seja a chuva desses campos / devemos esperar pelos estios”. E quando a época ruim chegar, contentar-nos com os nossos sonhos.
O poeta, pessimista, espera danos futuros. Em não conseguir o sonhado amor, que é imortal:
“Porém se não surgir o que sonhamos / e os ninhos imortais forem vazios, / há de haver pelo menos por ali / os pássaros que nós idealizamos”. “Feliz de quem com cânticos se esconde”.
Por que estar triste hoje? Porque «Somos membros uns dos outros», disse São Paulo aos cristãos de Efeso, citado por Laín Entralgo, num artigo. Entralgo era pensador da direita espanhola, discípulo de Ortega, e sempre exerceu sobre mim sobrenatural fascínio. Define Entralgo a capacidade do homem de considerar-se pessoa por dois conceitos: o próprio, e o alheio. Na esfera do próprio, estabelece duas diferentes esferas: o 'meu' (que define a própria estrutura do eu), e o 'em mim' (que posteriormente ele estuda, na patologia).
Como a pessoa é capaz de relacionar-se com outra? Como considerar o outro como outro eu? Como analisar o encontro, como estabelecer relações de amizade? Para Entralgo, a realidade consiste em ser 'de si' e em 'dar de si''. A realidade se faz presente e cognoscível na impressão de realidade que a coisa oferece ao sujeito que a percebe.
O principal livro de Entralgo, raríssimo entre nós, se chama 'Teoria e realidade do outro', que só consegui ler na Biblioteca Nacional, mas que hoje tenho. Nesse livro, ele percorre a filosofia ocidental em busca da teoria da consciência do outro, do outro como outro eu, onde a consciência de si é a consciência do outro. Como em Hegel, quando o eu suprassumia a si no outro a que se opunha numa negação: eu não sou o outro.
        Alguns poetas tiveram, ou revelam, dificuldade de relacionar-se com o outro. “O inferno são os outros”, já se disse. O poeta é um sofredor inútil. Entre 'os serões e os fiéis enganos' há uma ponte para a solidão sempre presente, sempre fiel, porque esse tipo de poesia tem uma vocação de 'amar o perdido', de buscar o passado, de 'Amar os sonhos que restarem frios'. Marca o reconhecimento de si no outro inexistente, distante e impossível.

As asas depenadas não voam, o coração já não se usa (Cocteau), não ama, as cenas ao redor são terríveis, as dores não mais se expressam, estão secretas, os ninhos vazios, os enganos fiéis, mas a poesia de “Invenção de Orfeu” mantém a sua beleza imortal.

Compartilhar em redes sociais

Comentários (0)

Deixe o seu comentário


Reload Image








Últimas matérias da coluna

24.05.2018 - O POEMA PROFÉTICO

22.05.2018 - O grande tesouro

19.05.2018 - O CASAMENTO REAL

17.05.2018 - MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

17.05.2018 - A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

13.05.2018 - Dia das Mães

06.05.2018 - O vestido verde

29.04.2018 - O fundamento dos sonhos

26.04.2018 - Rir da desgraça?

26.04.2018 - uivo longo noite escura vento

24.04.2018 - A CAXINAUÁ

14.04.2018 - O morcego

11.04.2018 - casa abandonada

10.04.2018 - E SOMENTE A NOITE COMPREENDIA AS SUAS PALAVRAS

05.04.2018 - Alcides Werk (1934-2003)

Ver mais
Livraria online Dicionário de Escritores Exercícios de criação literária
Entretextos Acadêmico
Rádio Entretextos
Livros online Aúdios

Imagens da Cidade Verde: entrevista com o escritor Ribamar Garcia


Os anos da juventude, entrevista com Venceslau dos Santos


Listar todos
Últimas matérias

24.05.2018 - O POEMA PROFÉTICO

O POEMA PROFÉTICO

24.05.2018 - JORNAL INOVAÇÃO E A QUEIMA DOS TAPUMES

Foi um jornal bravo e independente, que combatia a administração pública municipal, estadual e federal, ainda na época da ditadura militar.

22.05.2018 - O grande tesouro

O grande tesouro

21.05.2018 - Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva, pioneiro da literatura piauiense.

O acadêmico Reginaldo Miranda aborda a obra de um pioneiro escritor piauiense.

21.05.2018 - TRADUÇÃO DO POEMA

Quisiera sr

19.05.2018 - O CASAMENTO REAL

O CASAMENTO REAL

18.05.2018 - Alguma coisa vem mudando no país

É só observar bem. Temos de apoiar as mudanças para melhor. O Brasil precisa continuar sendo passado a limpo porque tem muita sujeira de fato.

18.05.2018 - Herculano Moraes

O acadêmico Reginaldo Miranda presta homenagem a seu amigo e colega de APL, Herculano Moraes.

17.05.2018 - MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

MORRE O POETA HERCULANO MORAES....

17.05.2018 - A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

A 3ª REIMPRESSÃO DA 6ª EDIÇÃO NA SUA LIVRARIA

16.05.2018 - Viagem a Manaus

À noite, ouvi, muitas vezes, o canto rascante de cigarras e a sinfonia álacre dos batráquios.

15.05.2018 - Psycho Pass 9: Akane se impõe

Prosseguindo o guia de episódios do seriado japonês policial e de ficção científica "Psycho Pass" veremos como a Inspetora Akane lida com a hostilidade de seu colega...

14.05.2018 - Retrato de minha mãe (*)

Cristo disse que quem desejasse ser o maior, deveria ser o que mais servisse. Portanto, deveria ser o maior e o melhor dos servos. Mamãe (quase) renunciou a si mesma, para servir aos outros.

13.05.2018 - Capitão Marcos Francisco de Araújo Costa

O acadêmico Reginaldo Miranda traça o perfil biográfico de um importante militar e educador do período colonial.

13.05.2018 - Minha mãe e o budismo

Minha mãe participou ativamente do budismo em certas ocasiões.

ENTRETEXTOS - DÍLSON LAGES MONTEIRO
Baloon Center, Av. Pedro Almeida nº 60, Sala 21 (primeiro piso) - São Cristóvão - Teresina - Piauí - CEP: 64052-280 Fone (86) 3233 9444
e-mail: dilsonlages[@]uol.com.br